Capa

FASP - Asfalto Campeonato Paulista de Automobilismo

McLaren larga na frente ao mostrar carro para 2021

MCL-35M é esperança para acabar com jejum de vitórias desde 2012

16.02.2021  |  61 visualizações

A McLaren começou a temporada 2021 na pole position, pelo menos no que diz respeito à agenda de lançamentos para os modelos que serão usados este ano. Denominado MCL-35M (foto de abertura/McLaren), o monoposto é um dos mais modificados entre que os alinharão na abertura da temporada, dia 28 de março, no Bahrein, cortesia da substituição do motor Renault pelo Mercedes. Para atingir a melhor adequação do equipamento alemão foi preciso abdicar de algumas mudanças: como os carros de 2021 são praticamente os mesmos do ano passado, a FIA estabeleceu limites no processo de aperfeiçoamento e na tentativa de controlar gastos em épocas de pandemia e caixa baixo.

Seção traseira do chassi com assoalho mais estreito diminui carga aerodinâmica (McLaren)

Daniel Ricciardo será o primeiro a acelerar o MCL35M, o que evidencia sua condição de primeiro piloto do time que terminou 2020 como terceiro colocado no Mundial e que está sem vencer uma prova desde 2012. Mais: a decisão reforça a importância de contar com um piloto mais experiente para contribuir no desenvolvimento do carro e também do inglês Lando Norris, rápido e arrojado, mas que ainda não tem três temporadas na categoria onde Ricciardo estreou em 2011 e já conquistou sete vitórias. Ricciardo tem contrato de três anos com o time de Woking.

Carenagem do MCL-35M e uniforme da equipe não exibirão a marca do motor alemão (McLaren)

Acoplar o motor alemão no chassi MCL35 demandou reposicionar vários equipamentos, em particular radiadores e acumulador de energia, e instalar uma nova caixa de câmbio. Curiosamente, o logotipo da Mercedes não será visto na carenagem dos carros ou no uniforme dos pilotos e equipe: o acordo entre a McLaren e a marca alemã não inclui ações mercadológicas e é restrito à uma relação fornecedor-cliente.

Red Bull comprou o projeto do motor Honda de F-1 e se equipara à Ferrari e Mercedes (RBCP)

Coincidentemente a Red Bull também anunciou ontem que finalizou com sucesso as negociações para adquirir o projeto do atual motor Honda de F-1 e as instalações da Honda Racing Development (HRD), em Milton Keynes. Dessa forma, a partir de 2022 o V6 de origem nipônica será rebatizado como Red Bull e, de acordo com Christian Horner (CEO da equipe de F-1), poderá ser vendido ou alugado para outras equipes além da AlphaTauri, equipe júnior da marca de energéticos.

Superesportivo Valkyrie foi abortado com a fusão da Racing Point com Aston Martin (RBCP/Getty Images)

Tal empreitada garante a permanência da Red Bull na F-1 por longo tempo e aumenta as chances de surgir uma divisão para produzir carros de alto desempenho e tecnologia. No passado recente existiu o projeto Valkyrie, em associação com a Aston Martin, então associada ao time e parceira comercial. Em meados de 2020, porém, Lance Stroll liderou um consórcio de investidores para assumir o controle acionário da marca de carros esportivos e associou sua equipe Racing Point à nova fase da Aston Martin, colocando uma pá de cal no superesportivo projetado por Adrian Newey.

 

Confira os próximos lançamentos dos carros para a temporada 2021

19/2 –AlphaTauri

22/2 – Alfa Romeo-Sauber

26/2 – Apresentação da equipe Ferrari

2/3 – Mercedes

5/3 – Williams

10/3 – Apresentação do Ferrari para 2021

A definir: Alpine, Aston Martin, Haas, Red Bull

Leia também...
06.04.2021

Corte de vagas e futuro de Gasly são os assuntos do momento

01.04.2021

FASP e IMC defendem a volta das atividades no momento certo

30.03.2021

Wolff e Horner cobram mais clareza da FIA para definir limites depara ultrapassagens

23.03.2021

Poucos dados concretos dividem o grid da F-1 em três grupos